PORTOS DE NAVEGANTES E ITAJAÍ

   Os números nunca foram tão favoráveis no Complexo Portuário do Rio Itajaí-Açu. Três anos após a destruição de dois berços de atracação de navios, na tragédia de 2008, os portos de Itajaí e Navegantes (Portonave) registram um início de ano animador, com números que projetam 2011 como o melhor ano da história em movimentação de contêineres.Os dois portos praticamente dobraram a movimentação de TEUs (Twenty-foot Equivalent Unit – unidade internacional equivalente a um contêiner de 20 pés) nos cinco primeiros meses de 2011, em comparação com o mesmo período do ano passado. A projeção do superintendente interino do Porto de Itajaí, Alexandre Antonio dos Santos, é de que o complexo movimente mais de 800 mil TEUs até o final do ano:

   – Isso consolida a posição do Complexo Portuário do Itajaí como o segundo maior porto nacional em movimentação de contêineres.

   Para o diretor comercial do Porto de Itajaí, Robert Grantham, dois fatores que alavancaram ainda mais os números do complexo: a dragagem de aprofundamento dos canais de acesso aos terminais e as obras de reconstrução dos berços destruídos.

   Essa movimentação tem potencial para dobrar. Já somos (complexo portuário) o segundo maior porto nacional e esse crescimento vem aumentando a diferença para o terceiro, Paranaguá. Mas ainda estamos distantes do Porto de Santos, que movimenta mais de dois milhões de TEUs por ano – avalia Grantham.

AEROPORTO DE NAVEGANTES

   O atual Aeroporto Internacional de Navegantes originou-se com a construção da pista de pouso e decolagem e de pátio de estacionamento para pequenas aeronaves em terras da Real Fazenda, localizada no litoral, a três quilômetros a nordeste do centro do município de Navegantes. A pista, inicialmente com 1.500 m, e o pátio de 150 x 73,5 m era utilizada por agricultores e empresários locais. Ao longo dos anos em função do uso intenso, a pista sofreu degradação e ficou inadequada à operação de aeronaves de maior porte. O pavimento da pista era frágil e o sistema de drenagem, ineficiente. Foi elaborado o projeto de reforma e ampliação da pista no final da década de 70, a cargo da DIRENG.

   Em outubro de 1978, o então Presidente da República General Ernesto Geisel inaugurou a nova pista ampliada para 1.701m de comprimento por 45m de largura, capaz de operar com aeronaves da categoria B, classificação usada na época, como o Boeing 737 e o Airbus A 320. O pátio também sofreu acréscimo para 198 x 73,5 m. Constou também dessa obra a ampliação do terminal de passageiros de Navegantes. Em 17 de janeiro de 1980, foi realizada a transferência, técnica, administrativa e operacional, do Aeroporto de Navegantes para a Infraero, por intermédio da Portaria n° 090/GM5.

   O aumento da demanda por vôos internacionais, especialmente os fretados para a região do Vale do Itajaí, que reúne as cidades de Blumenau, Pomerode, Timbó, Indaiá, Gaspar, Rio do Sul, Apiúna e Rio dos Cedros, além das badaladas praias de Balneário Comburiu, Piçarras e Penha impulsionaram a internacionalização do Aeroporto de Navegantes, que foi promulgada em novembro de 2004. O terminal de passageiros teve a nova reforma, inaugurada em julho de 2004, com a ampliação da área construída de 1.850 m² para 5.200 m² e inclusão da área de embarque e desembarque internacional.